Wonder Girls – Reboot

AND THE WONDER GIRLS ARE BACK!! *sussurra* JYP

Depois de praticamente três anos de hiatus, e depois da saída da SoHee e da líder Sunye, as divas Yubin, HyeRim, YeEun e Sunmi [bem vinda de volta] voltaram com o terceiro álbum, “Reboot”. E eu agradeci esse álbum de joelhos e erguendo as mãos pro céu, porque é maravilhoso.

Mas antes de falar do álbum, vamos relembrar os vídeos de teaser. Wonder Girls não retornou como o grupo que conhecíamos, e não falo apenas das integrantes. Elas agora são uma banda, e quando saiu essa notícia eu fiquei pensando “Ué como assim? Como vai ser isso?”

Eis que JYP começou a lançar os teaser individuais das moças, e todas as minhas dúvidas foram respondidas e todas as minhas células explodiram. E eu achava que Wonder Girls não poderia ser melhor.

Sunmi

Yubin

HyeRim

YeEun

E COMO SE JÁ NÃO FOSSE O SUFICIENTE¸ elas voltaram aos anos ’80 e nos levaram junto. Todas as músicas estão nesse estilo, e eu achei que sentiria falta das batidas mais eletrônicas, como em “Be My Baby”. Mas assim que ouvi [e vi o MV] “I Feel You”, eu soube que não iria me decepcionar.

Aproveito e já deixo o MV aqui, porque ele é tão ótimo e elas estão tão maravilhosas que todo mundo deveria assistir. Um milhão de vezes.

Ok, vamos falar um pouco das músicas [na ordem que aparecem no álbum]:

“Baby don’t play” seria ótima como música título do comeback, sem dúvida nenhuma. É chiclete, você fica cantando o refrão a semana toda. “Candle” merece um MV! . por favor JYP faça isso. Eu gostei tanto que fico ouvindo várias vezes seguidas. E o melhor de tudo: tem coreografia, e a dança é maravilhosa também.

Achei o rap do Paloalto um tanto desnecessário, poderia ser a Yubin e seria ainda melhor. Mas ok né, a música continua perfeita. E cheia de mensagem subliminar de sexo.

“I Feel You” não é minha preferida, e acho que não fica nem no Top 3. Eu amei, antes que alguém pergunte se eu fiquei louca. Amei o início “And the Wonder Girls… We’re back!”, deu até uma emoção. Mas não achei tuuuuudo isso, não dá para explicar muito bem. Eu amei, mas não tanto. E uma coisa que me incomodou profundamente: logo após o refrão, a YeEun, a Sunmi e a HyeRim falam uma frase, meio sussurrada, e daí vem a Yubin e fala o quê? “Baby”. Gente que injustiça, achei chato. MAS o rap da Yubin compensou tudo isso. Deu pra perceber que ela é minha bias?  Mas ok, dá pra dançar, dá pra imitar o teclado – gente esse ritmo fica na cabeça por um milênio, é a JYP querendo a música infiltrada no nosso cérebro. E as apresentações foram lindas, então muitas palmas.

UMA COISA que me deixou bem triste: apesar delas terem aprendido a tocar instrumentos e se apresentarem ao vivo com eles, não são elas tocando no álbum. Sei lá, fiquei desapontada?

“Rewind” é a pausa nas músicas mais agitadas. Pelo nome e pelo ritmo, sabemos logo que é uma música que fala sobre o término de um namoro e as memórias que continuam voltando. Achei a letra tão linda que vou deixar o refrão traduzido aqui:

Rebobine, rebobine, rebobine

Quanto mais você for para trás

Mais lindo é

Rebobine, rebobine, rebobine

Eu quero ficar aqui

Mas sei que é tarde demais

“Loved” e “John Doe” eu ouvi muito, muito mesmo. Esse álbum todo é ótimo, não dá para dizer: “Ah, mas tal música é ruim, a letra é ruim, o refrão é ruim”. Não dá. Loved já começa com um rap da Yubin, e a letra de novo fala do fim de um namoro – mas não é tão sentimental quanto “Rewind”. E John Doe [pelo o que entendi] é de um encontro com um estranho numa festa.

E quando li as letras, me pareceu que “John Doe” continua em One black night”, que por acaso é minha preferida. Passei um dia todo ouvindo, porque eu amei tudo. Amei o início da bateria, depois o teclado e o fim do refrão todo em inglês é ainda mais fácil de decorar. E a sequência “We rock it, roll it, swing it, drop it, take it, blow it, shake it, shot” me lembrou muito o início de “Rocking”, do Teen Top, e acho que isso me fez amar ainda mais a música.

i6TPnsAVxiV9T

“Back” é um dueto da Yubin com a HyeRim, e quando ouvi pela primeira vez eu não gostei muito [não gosto do início do instrumental?]. Mas na segunda chance que dei eu tive que repetir, porque é ótima, e a letra é típica de rap: as duas cantam sobre o quanto é bom estarem de volta, e o quanto os outros grupos devem se preparar. Uma letra bem metida, bem esnobe, mas é Wonder Girls, então elas podem.

“Oppa” é solo da HyeRim e é muito divertida. Começa com uma conversa pelo telefone, e ela diz ao namorado que vai sair à noite e ele fica bravo. A música toda é uma resposta a isso, porque ela quer se divertir e aproveitar a juventude. E é uma ótima música pra sair pulando e cantando pela casa, porque é super animada.

Agora uma sequência de músicas mais lentas: When love tries to leave” [사랑이 떠나려 할때] é outra música mais sentimental, mas não ouvi tanto quanto “Rewind”. Já Gone” é a música mais sofrida do álbum, e a letra é mais triste também – o namoro acabou porque o rapaz encontrou outra. K-pop é sempre cliché. E “This moment” [이순간] é a balada romântica e triste, e o vocal das quatro é maravilhoso. Eu sou suspeita para falar porque eu amo baladas, mas com toda certeza vocês também vão amar.

 

Esse post ficou maior do que eu imaginei, mas eu precisava dividir meu amor por “Reboot” com vocês. Nesse link você pode baixar o álbum e se apaixonar também.

Até a próxima!

xoxodora

Dora Leiria

K-popper desde 2009, então decidi fazer um blog pra surtar <3 // K-popper since 2009, so I decided to make a blog to talk about it <3

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *